segunda-feira, 23 de maio de 2016

EXU É DEMÔNIO

Os deuses do mundo mitológico são demônios, as várias faces do mal. Exu é um demônio sim senhor. Já conversei e expulsei muitos exus dos corpos das pessoas. Se ele é um deus, porque passa tão mal, ao ouvir o nome de Jesus quando repreendido?
Discordo do texto abaixo, do Vinicius.
-----------------------------
De inicio vou apresentar para vocês Exu. Para os que gostam de comparar mitologias, ele é o deus africano mais parecido com o Hermes, tanto no mau quanto no bom sentido. Seu nome, Exu, significa esfera, por ser um deus eterno, não ter começo nem fim. Exu é o orixá da comunicação. É o guardião das aldeias, cidades, casas, das coisas que são feitas e do comportamento humano.

Exu01
Ele é encarregado em receber todas as oferendas primeiro, para segurar que tudo ocorra bem, e de garantir que sua função de mensageiro entre Orun e o Aiye (mundo material e espiritual) seja plenamente realizada.
Muitos devem estar pensando neste momento: “Mas Exu não é a mesma coisa que diabo?”
E eu lhes digo meus amigos: Não, não é a mesma coisa. E vou explicar a vocês o por que deste erro, muito comum:
Na época da colonizações da África o Exu foi sincretizado como diabo cristão pelos colonizadores, devido ao seu estilo irreverente, brincalhão e a forma como é representado no culto africano: Um falo humano ereto, simbolizando a fertilidade.
Compara-lo com o diabo, satanás, é um absurdo, pois, dentro da construção teológica yorubá não existe entidade (orixá) que ocupe essa posição oposta ao bem, como em religiões cristãs, entre outras. Todos da mitologia yoruba, bem como no candomblé, tem sua porção positiva e negativa.
Exu02
Exu é figura de status entre os Orixás, que apesar de ser subordinado ao poder deles, constitui uma figura tão poderosa que freqüentemente desafia as próprias divindades. Sua função e condição de figura-limite entre o astral e a matéria, se revela em suas cores, o negro e o vermelho, sendo esta última a vibração de menor freqüência no espectro do olho humano, abaixo do qual tudo é negro, há ausência de luz.
Seus aspectos contraditórios também podem ser analisados sob outro ponto de vista: o negro significa em quase todas as teologias o desconhecido; o vermelho é a cor mais quente, a forte iluminação em oposição à escuridão do negro. Até em suas cores, Exu é o símbolo das grandes contradições, do amplo terreno de atuação.
Bom fica ai com vocês uma pincelada sobre este orixá.
Fontes:
A melhores histórias da mitologia africana – A.S. Franchini e Carmen Seganfredo
Autor: Vinicius Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário